Ativismo Espiritual

Tempo de leitura: 7 minutos

Seguem dicas para uma boa proatividade consciencial baseadas no trabalho de Satyana — Leading with Spirit —  algo como “crescer e aparecer” com a cabeça e o espírito no lugar… saca?!

  1. Transforme suas motivações negativas em algo positivo. Por exemplo, se sua pessoa sente ódio (sorry pelo palavrão! é forte mesmo, sinto dizer), mas se vocês sente ódio de outra pessoa porque ela pensa diferente do seu pensamento, então, sugiro que mude essa estrutura de lugar e passe para sentimentos mais elevados como compaixão, amor e um nível de propósito na vida daquela pessoa. Tem um botão liga e desliga dentro da sua cabeça, então, é vapt, vupt. On & Off. Já fiz, e aprovei! Tudo muda quando a gente muda. Ponto final. Outra linha. Travessão!
  2. Desapegue-se do que vier. Vivemos no up & down da vida, ora nos sucessos e ora nas falhas — o que é muito desgastante e estressante na vida de qualquer pessoa. Assim, nos perdemos do momento atual, o now, o aqui e agora e deixamos pra lá, expectativas do futuro que ainda não existem. Por isso, ter fé no outcome é essencial. Acredite JÁ que uma sabedoria maior está sempre operando no resultado final e seja flexível com as mudanças e diferentes circunstâncias que possam ocorrer no meio do processo. Creia. Acredite. Mas let go….
  3. Integridade é sua melhor comparsa. Se você tem uma vida íntegra, tenderá a estar protegido de energias negativas porque ficará transparente aos seus efeitos colaterais, que passarão através de você, como se seus átomos não se tornassem matéria — algo como um “aikido psíquico”. Integridade é fundamental.
  4. Jamais demonize seus adversários. Ops! Mas, quem nunca, não? O mundo atual está num tal de palavras faladas falidas e muitas vezes soam sem sentido. Um pecado quase capital — haja visto que palavras são energias e, como tais, desperdiçamos “energia” (ou seja, ficamos mais pobres no espírito) quando falamos palavrões, quando fofocamos, ou quando mentimos. Esse tipo de coisa…. mesmo que estejamos todos sendo um pouco assim… É como se estivéssemos ludibriados e enfeitiçados por palavrinhas de baixa vibração, que nos contorcem em frequências malditas, esperado por frequências benditas, as quais são bem maiores e bem melhores. E como todos os sons que palavreamos também nos sacodem, eles se fundem ao “consciente coletivo” e vibram tm todos nós. Quase como se soubéssemos o que o outros pensam, falam e quem são. Já percebeu? E as coincidências? Você pensa num amigo e a mensagem chega; vai ligar pra mãe e ela liga naquele exato momento, esse tipo de coisa… Felizmente ou infelizmente, num mundo tão conectado, se endemonizamos (não sei se esta é uma palavra), mas se fazemos demônios uns dos outros, criamos um bloco entre todos e nos armamos. E assim, passamos a ir para a guerra todos os dias, respondendo com arrogância à arrogância. E daqui nasce o “ódio” — palavrinha feia e de baixíssimo calão, com poder de destruição! Por essa razão, abaixe a sua cabeça, coloque os pés no chão e sempre escolha ser aluno da vida. E dos muitos professores que aí estão…. Uma vez um amigo disse: “Carolina, seus inimigos são seus melhores professores!” E que assim seja. O que for para ser. Ad perpetuam.
  5.  Sinta-se único. Pois é isso o que tu és. E eu também. E ele, e ela, idem. Tendeu?
  6. Continuando o tópico acima…. ame o seu inimigo! Por mais clichê que seja, é importante sentir compaixão pelo outro, no mínimo! A vida está complicada sim, mas vale a pena pensar sob diferentes perspectivas e ganhar novos pontos de vistas. E, assim, você se move do pensamento “eu versus eles” para a “consciência-nós” e passa da separação para a cooperação. Realmente, um super desafio nos dias de hoje… mas é encontrar o denominador comum ao outro, respeitando e mantendo suas próprias opiniões e portanto sendo aberto ao mundo do outro. Com certeza, seu mundo só vai crescer com isso. Como disse o texto: “seja duro nos assuntos, mas leve com as pessoas”.
  7. O seu trabalho é para o mundo, e não para você. O conceito do trabalho deve ser este e seu fruto pode levar uma vida inteira para ser e aparecer. Assim, ao trabalhar sob uma perspectiva mais altruísta, muitas gerações poderão usufruir de sua futura colheita e você, ficar “famoso” não em apenas uma vida, mas muitas outras…. Nichola Tesla foi um que pensou fora da caixa e hoje é cultuado por muito cientista moderno por aí. Quer melhor e maior que isso? Por essas e outras, deixe de pensar somente no retorno financeiro das 40 horas semanais e ganhe senso de gratidão divina, pesando o outro como você também se pesa, e dividindo-a com todos aqueles que fazem seus próprios trabalhos com amor e dedicação. E isso pode ir do catador de papelão ao médico que descobriu a pílula do câncer! Assim, como num efeito borboleta, todos poderão sentir compaixão, autenticidade, força moral e perdão, e esse trabalho “árduo” (ahah) de fazer tudo na vida com amor é viciante e contagiante: um por todos e todos por um. Estamos todos no mesmo barco 🙂
  8. “É dando que se recebe” — já dizia aquele velho ditado popular. Sob essa base, que possui poder universal, somos todos também sustentados. Ou seja, algumas horas por dia/semana/mês de trabalho voluntário, pode fazer a diferença…. Ação consciente de raiz, brother. Agir com o coração mesmo, sem pestanejar com base em ótimas intenções. Acredito que todas as ONGs espalhadas pelo mundo tem boas intenções, estou certa? Ou, senão, planeje você, uma organização e viva uma ação consciente do bem! E dê ao mundo algo de bom! Tenho certeza que muito do “bem e bom” estarão no seu caminho.
  9. Não se isole das dores do mundo. Sinta tudo o que puder, sinta muito e aprenda a andar pelo mundo com o coração quebrado até que ele se abra, e uma transformação genuína ocorra dentro de você. Como disse Khalil Gibran: “a dor é o remédio com a qual seu médico interno se cura”. O sofrimento é uma das nobres verdades no Budismo. E faz parte. E nos faz aprender.
  10. Você se torna aquilo que mais presta atenção e, portanto, colhe exatamente aquilo que planta. Se constantemente reclama, se torna um reclamão; mas se curte dar amor, você personifica o amor puro e próprio, pois só ama quem o tem e que o doa. A quem doer!
  11. Mega importante: tenha fé. Fui clara? Fé! Em letras maiúsculas ou caixa alta para marcar sua visão: FÉ. O que significa: confiar no desconhecido, largar mão, ou melhor, as duas mãos, e confiar que és um veículo para a benevolência cósmica que guia sua vida por e para você. “O primeiro passo para sabedoria é o silêncio e o segundo, ouvir.” Se você pedir algo com o coração, será atendido sob uma força motriz gigante que vai mudar o rumo do seu mundo. E o de todos nós também….
  12. O AMOR DÁ FORMA. É o coração que faz o que a mente fala e os dois conectados mergulham em dimensões indescritíveis da consciência. Como disse Martin Luther King: “não fique preso no pessimismo em relação à natureza humana que não seja balanceado no otimismo da natureza divina, ou negligenciará a cura da graça.” Deixe o amor contido em seu coração explodir para que realize todos os seus sonhos e metafísicos desejos. Porque os outros, podemos satisfazer aqui. Eu, pelo menos, quero mais!

Fonte: http://www.satyana.org/pdf/lws-2002-2003.pdf

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *